top of page
1621878019234.jpg

O Programa Pólen da ERA implementa ações socioambientais para gerar impacto positivo em cinco pilares.

RESEARCH

COURSES & TRAINNING

AGROFORESTRY

GENDER EQUALITY

BIODIVERSITY

These are the 5 special ingredients that make this project unique.

Um pouco de nossas ações

A biodiversidade é a base de um ecossistema resiliente. A ERA dedica receitas de carbono ao monitoramento de espécies-chave no bioma Cerrado. As atividades incluem pesquisas científicas para entender a saúde de comunidades específicas e parcerias com instituições líderes para alcançar esses resultados.

Os sistemas agroflorestais são sistemas de produção de alimentos biodiversos que integram uma variedade de espécies de árvores e plantas para produzir frutas, nozes, superalimentos e especiarias. Os sistemas agroflorestais produzem mais alimentos por hectare do que os sistemas regulares de monocultivo, além de gerarem maiores retornos financeiros por hectare no longo prazo.

educação

A ERA acredita na construção de uma base sólida através da educação e capacitação da próxima geração de agricultores. Faltam extensionistas com capacidade técnica para implantar, gerenciar e monitorar os sistemas agroflorestais. As escolas de agricultura não incluem sistemas agroflorestais no currículo. Por isso, a ERA está em parceria com as Escolas de Agricultura Familiar, para construir polos de aprendizagem agroflorestal e oferecer cursos práticos de capacitação.

biodiversidade

agrofloresta

igualdade de gênero

A ERA está integrando a agenda de igualdade de gênero em todos os projetos através da aplicação do  W+ padrão. A ERA acredita que o caminho para um futuro mais sustentável passa pelo empoderamento das mulheres, razão pela qual implementamos o padrão W+ em nosso Programa Pólen. O padrão W+ mede o empoderamento das mulheres por meio de seus métodos transparentes e quantificáveis que dão valor monetário aos resultados que então canalizam de volta para as mulheres envolvidas no projeto.

O projeto visa aumentar a resiliência por meio da agricultura regenerativa, apoiando a criação de grupos e cooperativas em três áreas: oferta de educação, capacitação e implantação de sistemas agroflorestais. O projeto visa aumentar 3 domínios, incluindo: Liderança, Renda e Ativos e Conhecimento e Educação, que beneficiarão todas as mulheres participantes.

Por meio do nosso Programa W+, a ERA pretende impactar positivamente a vida de mais de 1.500 mulheres até 2026.

pesquisar

A ERA destina uma parte das receitas de carbono para apoiar pesquisas de ponta sobre fauna, flora e qualidade da água no Cerrado.

A ERA fez parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT) para analisar a saúde do solo e o carbono do solo entre diferentes usos da terra, como agrofloresta, vegetação nativa e pastagem degradada, para medir comparativamente os benefícios das técnicas de agricultura regenerativa, bem como a conservação da vegetação nativa.

A ERA também implementou um Centro de Aprendizagem agroflorestal na Universidade Federal do Tocantins para que os alunos pudessem ter experiência prática com um sistema agroflorestal produtivo, bem como realizar pesquisas necessárias sobre esses sistemas de gestão agrícola regenerativa e seu potencial para impactar positivamente comunidades, biodiversidade, solo e água. 

Onde está o programa hoje?

Todo programa de sucesso tem uma base sólida.

01

Nossa equipe treinou mais de 32 jovens em 4 cursos sobre técnicas de manejo agroflorestal​.

02

Nossa equipe, junto com mais de 40 alunos e professores da Escola de Agricultura Familiar (EFA) de Porto Nacional, plantou uma área de 1 hectare (10.000 m2)  sistema agroflorestal em 5 dias. As espécies plantadas incluem cúrcuma, baru, banana, entre outras.

03

Nossa equipe selecionou 8 alunos da EFA para receber seu próprio sistema mini-agroflorestal na propriedade de sua família. Plantamos 3.740 m2 no total, cerca de 500 m2 por aluno. .

bottom of page